Anuncio

Dois novos cursos gratuitos serão ofertados nos abrigos de Boa Vista para impulsionar interiorização de migrantes e refugiados pelo trabalho

Iniciativa é da AVSI Brasil que implementa o projeto Acolhidos por meio do trabalho em parceria com empresas da iniciativa privada. Aulas serão ministradas pelo Senac Roraima

Uma parceria entre a AVSI Brasil e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac/RR) irá ofertar dois novos cursos dentro dos abrigos da Operação Acolhida em Boa Vista. A iniciativa é implementada pelo projeto Acolhidos por meio do trabalho que apoia a integração de migrantes e refugiados venezuelanos abrigados na cidade e facilita interiorizações para outras cidades brasileiras, onde há oportunidades de trabalho junto à iniciativa privada.

Os cursos são de Preparação Laboral e de Língua Portuguesa, todos no modelo presencial, obedecendo as medidas restritivas do governo local, que permite a realização da atividade presencial nos abrigos da cidade. Ambos os cursos serão exclusivamente para venezuelanos que estão abrigados em um dos cinco centros de acolhimento gerenciados pela AVSI Brasil em Boa Vista:  Rondon 1, 2 e 3, São Vicente I e Pricumã, e incentiva a permanência dos alunos no abrigo, evitando saídas durante o período de pandemia. Atualmente, cerca de 4,4 mil venezuelanos estão em abrigos da cidade.

Para a gerente do projeto Acolhidos por meio do trabalho, Thais Braga, a ação irá proporcionar o desenvolvimento de pessoas que ainda vivem nos abrigos da cidade, proporcionando capacitação e, consequentemente uma oportunidade de ingressarem no mercado de trabalho. “Nosso projeto incentiva a integração de venezuelanos a partir de interiorizações voluntárias para outras regiões, onde há oportunidade de trabalho junto à iniciativa privada. Nós sabemos que o domínio do idioma é um fator decisivo para a adaptação no país. Por isso, além da gramática, também planejamos curso de preparação laboral para que essas pessoas possam conhecer nossa legislação, aprendam a formatar documentos, desenvolvam a leitura e se aprofundem em questões sobre nossa sociedade, lazer, mercado de trabalho e suas características”, explica.

Em 2020, o projeto Acolhidos por meio do trabalho e o Senac RR certificaram cerca de 260 venezuelanos dentro dos abrigos de Boa Vista. O documento tem validade para todo o território brasileiro e é um instrumento importante para a entrada de migrantes e refugiados no mercado de trabalho no país, já que muitos não dominam o idioma e não possuem certificações válidas para as contratações.

Sobre os cursos

Preparação Laboral:  terá duração de cinco dias úteis, totalizando uma carga horária de 20 horas, sendo 4 horas por dia. O curso se dará em sistema de rodízio, sendo um abrigo por semana, iniciando pelo Rondon 3, a partir do dia 1º, com duas turmas; uma no período da manhã e outra, no período da tarde. As aulas serão ministradas por um professor do Senac RR e são exclusivamente para venezuelanos que estejam neste abrigo. O aluno que apresentar 100% de presença (nenhuma falta) receberá um certificado de conclusão com validade para todo o território brasileiro. Na sequência, o curso também será ofertado nos abrigos Pricumã, a partir do dia 8, e sucessivamente no Rondon 1, Rondon 2 e São Vicente 1.

Língua Portuguesa: terá início no dia 15 de março e tem a duração de 15 dias, totalizando uma carga horária de 60 horas, sendo 4 horas por dia. O curso se dará em sistema de rodízio, sendo um abrigo a cada 15 dias, iniciando pelo abrigo Rondon 1, com turma pela manhã e no Rondon 2, com turma à tarde. As aulas serão ministradas por professores do Senac RR e são exclusivamente para venezuelanos que estejam nestes abrigos. Ao final do curso, o aluno que apresentar 75% de presença receberá um certificado de conclusão com validade para todo o território brasileiro. O curso também será oferecido nos abrigos Rondon 3, São Vicente 1 e Pricumã.

Prevenções

As turmas são compostas em grupos de dez a 20 pessoas, dependendo do abrigo. Os alunos ficarão com uma distância mínima de 1,5 metro um do outro e irão receber máscaras para uso durante aulas. A higienização das mãos também está prevista, com a utilização de álcool em gel, que deve ser utilizado cada vez que alguém entrar na sala. Todos os procedimentos serão monitorados por um facilitador contratado pela AVSI Brasil, que estará presente em cada turma durante os cursos.

Para participar

Venezuelanos que tiverem interesse em participar podem fazer a inscrição no próprio abrigo gratuitamente. Os pré-requisitos são para pessoas com idade a partir de 16 anos e que tenham interesse em processos de interiorização para trabalhar em outras localidades do Brasil. O aluno também deve apresentar CPF, Protocolo de Refúgio/Residência, ou CPF e Identidade venezuelana com foto.

O projeto

Acolhidos por meio do trabalho é implementado pela AVSI Brasil e Instituto Migrações e Direitos Humanos (IMDH), com o envolvimento da Fundação AVSI e AVSI-USA e financiado pelo Departamento de População, Refugiados e Migração (PRM) do Governo dos Estados Unidos.

Entre as principais ações, o projeto prevê a colocação no mercado de trabalho e interiorização de venezuelanos adultos com suas famílias, além da colocação no mercado de trabalho de brasileiros em situação de vulnerabilidade social; e cursos preparatórios vinculados ao mercado de trabalho, de língua portuguesa e formação em direitos e deveres laborais, entre outras ações.

Em um ano, o Acolhidos por meio do trabalho intermediou:

  • Interiorização de 464 venezuelanosde Roraima para outras cidades;
  • Contratação de 250 venezuelanos em 7 estados brasileiros;
  • 14 processos de interiorização (para Santa Catarina (5), Mato Grosso (2), Minas Gerais (2), Distrito Federal (2), Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro);
  • Certificação de 260 venezuelanos em cursos de Língua Portuguesa e Preparação Laboral em Boa Vista/RR;
  • Certificação de 250 brasileiros no curso profissionalizante “Qualificação para atuar no contexto da pandemia”, em Salvador/BA.
CARD VAZIO