Anuncio

Grupo de venezuelanos é acolhido no Mato Grosso para trabalhar em frigorífico no interior do estado

Eles estavam abrigados em Roraima e foram interiorizados com o apoio da AVSI Brasil, em parceria com a Operação Acolhida e com a BRF

Um grupo com 52 refugiados e migrantes venezuelanos desembarcou em Cuiabá (MT) em dezembro, para iniciar uma nova vida a partir de oportunidades de trabalho. Eles estavam abrigados em centros de acolhimento, em Boa Vista (RR), e 32 deles foram contratados para trabalhar no setor de frigorífico da unidade da BRF em Lucas de Rio Verde, distante 332 quilômetros da capital. O restante do grupo é formado por acompanhantes familiares.

A oportunidade de emprego surgiu com a iniciativa da área global de Diversidade e Inclusão da Companhia, que abriu o processo seletivo em Boa Vista.

A interiorização do grupo para o estado contou com a parceria da Associação Voluntários para o Serviço Internacional (AVSI Brasil), que implementa o projeto Acolhidos por meio do trabalho. A iniciativa prevê moradia temporária por até três meses para todo o grupo interiorizado e o acompanhamento de um assistente social para apoiá-los na integração com a empresa e na comunidade local durante este período. A viagem de Roraima para Cuiabá foi realizada por voo fretado e o deslocamento para a cidade de destino foi viabilizada pela força-tarefa humanitária da Operação Acolhida, em dois ônibus.

Todos os 32 novos contratados passaram por processo seletivo e tiveram um dia de interação com os colaboradores da BRF para adaptação – a Companhia já conta com pessoas de 98 nacionalidades nas operações administrativas, agrícolas e de distribuição de vendas. A empresa vem adotando medidas preventivas contra a Covid-19 em seu quadro de colaboradores, como controle de higienização, uso de máscaras, aferição de temperatura diária, entre outras ações.

“Nós na BRF acreditamos que a diversidade enriquece com pensamentos, opiniões e experiências de vida diferentes que contribuem para que a companhia seja cada vez mais inovadora e atinja seus resultados. Nossos programas de atração e gestão de talentos têm como um de seus objetivos a criação de um ambiente de trabalho cada vez mais diverso e inclusivo”, diz Thiago Pereira, Gerente Executivo de Talent & Learning da BRF. “Entendemos que todos crescem com essa parceria, que nos permite contratar pessoas capacitadas, proporcionar uma oportunidade profissional com geração de renda para os trabalhadores estrangeiros e uma ótima experiência de troca com demais colaboradores”.

Segundo grupo em MT

Este foi o segundo grupo interiorizado para o estado pelo projeto Acolhidos por meio do trabalho em 2020. Em setembro, quatro venezuelanos foram contratados pelo grupo Sodexo On-site para trabalharem como cozinheiros e oficiais de cozinha em duas fazendas; uma em Campo Novo do Parecis e outra em Nova Mutum. Na ocasião, eles ficaram acomodados em alojamentos dentro das próprias fazendas. Os familiares de três desses venezuelanos chegaram em dezembro, totalizando 12 pessoas da primeira interiorização. Agora as famílias contarão com casas temporárias em Tangará da Serra, por um período de até três meses e receberão o acompanhamento de um assistente social, previsto no projeto Acolhidos por meio do trabalho. Uma venezuelana, que continua trabalhando na fazenda, seguirá no alojamento, pois não tem acompanhantes familiares.

Segundo Thais Braga, gerente do projeto na AVSI Brasil, as empresas têm se sensibilizado para a contratação de venezuelanos no mercado de trabalho. “Devido a situação vulnerável em que se encontram, os migrantes e refugiados venezuelanos possuem muita vontade e determinação para se estruturarem e conseguirem recuperar sua autonomia no Brasil. Isso tem se caracterizado como um fator positivo para quem emprega. Outro aspecto importante para as empresas é a garantia de que os novos contratados tenham uma moradia temporária e o acompanhamento de um profissional que os ajudará na integração na cidade durante os meses iniciais”, relata.

O projeto

O Acolhidos por meio do trabalho é implementado pela AVSI Brasil e Instituto Migrações e Direitos Humanos (IMDH), com o envolvimento da Fundação AVSI e AVSI-USA e financiado pelo Departamento de População, Refugiados e Migração (PRM) do Governo dos Estados Unidos.

Entre as principais ações, o projeto prevê a colocação no mercado de trabalho e interiorização de venezuelanos adultos com suas famílias, além da colocação no mercado de trabalho de brasileiros em situação de vulnerabilidade social; e cursos preparatórios vinculados ao mercado de trabalho, de língua portuguesa e formação em direitos e deveres laborais, entre outros aspectos.

Em um ano, o projeto realizou a interiorização de 420 venezuelanos, sendo que 227 deles, foram contratados no mercado formal e os outros 193 foram acompanhantes familiares, totalizando 13 processos de interiorização, sendo cinco em Santa Catarina, dois no Mato Grosso, dois no Distrito Federal e um nos seguintes estados: Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Sobre a BRF

Uma das maiores companhias de alimentos do mundo, a BRF está presente em mais de 130 países e é dona de marcas icônicas como Sadia, Perdigão e Qualy. Seu propósito é oferecer alimentos de qualidade cada vez mais saborosos e práticos, para pessoas em todo o mundo, por meio da gestão sustentável de uma cadeia viva, longa e complexa, que proporciona vida melhor a todos, do campo à mesa. Pautada pelos compromissos fundamentais de segurança, qualidade e integridade, a Companhia baseia sua estratégia em uma visão de longo prazo e visa gerar valor para seus mais de 90 mil colaboradores no mundo, mais de 260 mil clientes e aproximadamente 10 mil integrados no Brasil, todos os seus acionistas e para a sociedade.

CARD VAZIO