Anuncio

Migrantes venezuelanos contam com cursos profissionalizantes de vendas, manicure e operador de caixa, nos abrigos de Boa Vista

Projeto Acolhidos por meio do trabalho busca impulsionar interiorizações para outras localidades do Brasil em parceria com empresas interessadas em contratá-los

Migrantes e refugiados venezuelanos que estão em abrigos gerenciados pela AVSI Brasil, em Boa Vista, contam com novos cursos profissionalizantes para incentivar a inclusão no mercado de trabalho brasileiro. A iniciativa é realizada pela AVSI Brasil, através do projeto Acolhidos por meio do trabalho, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac/RR), responsável pela aplicação dos cursos.

Desde 2020 a AVSI Brasil oferece capacitações do idioma português e de preparação laboral nos abrigos da cidade e, a partir deste ano, passou a aplicar também cursos profissionalizantes de Manicure, Promotor de Vendas e Operador de Caixa, com o objetivo de incentivar a inclusão de venezuelanos no mercado de trabalho, facilitando as interiorizações para outras localidades do Brasil e integração socioeconômica local.

As aulas são realizadas em modo presencial, obedecendo as medidas de segurança contra a COVID-19 e são exclusivamente para venezuelanos que estão abrigados em um dos cinco centros de acolhimento gerenciados pela AVSI Brasil: Rondon 1, 2 e 3, São Vicente 1 e Pricumã. De acordo com a ONG, cerca de 4,4 mil venezuelanos estão em abrigos da cidade.

O projeto Acolhidos por meio do trabalho e o Senac RR já certificaram 445 venezuelanos dentro dos abrigos de Boa Vista, com cursos de Língua Portuguesa e Preparação Laboral. O certificado tem validade para todo o território brasileiro e é um documento importante para a entrada de migrantes e refugiados no mercado de trabalho no Brasil, já que muitos não dominam o idioma e não possuem certificações válidas para uma contratação. Em 18 meses, o projeto intermediou a interiorização de 744 venezuelanos, sendo que 372 foram contratados por empresas parceiras em oito estados brasileiros e o Distrito Federal, com o apoio da Operação Acolhida para as viagens.

Sobre os cursos profissionalizantes:

Manicure:  tem duração de duas semanas, com aulas de segunda à sexta-feira, no horário das 18h às 22h, totalizando uma carga de 40 horas. O curso se dará em sistema de rodízio e teve início em maio, com duas turmas no abrigo São Vicente 1. As aulas são ministradas por uma professora do Senac RR e são exclusivamente para venezuelanos que estejam no abrigo. O aluno que apresentar 75% de presença (duas faltas) receberá o certificado de conclusão com validade para todo o território brasileiro. A terceira turma será realizada no abrigo Pricumã, a partir do dia 7 de junho.

Operador de Caixa:  tem duração de duas semanas, com aulas de segunda à sexta-feira, no horário das 18h às 22h, totalizando uma carga de 40 horas. O curso se dá em sistema de rodízio e teve início em maio, com uma turma no abrigo Rondon 2.  A segunda turma está prevista para o abrigo Rondon 3, a partir do dia 15 de junho.  As aulas são ministradas por um professor do Senac RR e são exclusivamente para venezuelanos que estejam no abrigo. O aluno que apresentar 75% de presença (duas faltas) receberá o certificado de conclusão com validade para todo o território brasileiro.

Promotor de Vendas:  tem duração de 15 dias, com aulas de segunda à sexta-feira, no horário das 18h às 22h, totalizando uma carga de 40 horas. O curso se dá em sistema de rodízio e teve início em junho, com uma turma no abrigo Rondon 2.  Outras duas turmas estão previstas.  As aulas são ministradas por um professor do Senac RR e são exclusivamente para venezuelanos que estejam no abrigo. O aluno que apresentar 75% de presença (duas faltas) receberá o certificado de conclusão com validade para todo o território brasileiro.

Os cursos de Língua Portuguesa e de Preparação Laboral continuam em andamento nos demais abrigos:

Preparação Laboral:  tem duração de cinco dias úteis, totalizando uma carga horária de 20 horas, sendo 4 horas por dia. O curso funciona no sistema de rodízio, sendo um abrigo por semana, em períodos alternados. As aulas são ministradas por um professor do Senac RR e são exclusivamente para venezuelanos que estejam neste abrigo. O aluno que apresentar 100% de presença (nenhuma falta) receberá um certificado de conclusão com validade para todo o território brasileiro. A próxima turma está prevista para 7 de junho, no abrigo São Vicente 1.

Língua Portuguesa: tem duração de 15 dias, totalizando uma carga horária de 60 horas, sendo 4 horas por dia. O curso é aplicado em sistema de rodízio, sendo um abrigo a cada 15 dias. As aulas serão ministradas por professores do Senac RR e são exclusivamente para venezuelanos que estejam nestes abrigos. Ao final do curso, o aluno que apresentar 75% de presença receberá um certificado de conclusão com validade para todo o território brasileiro. As próximas turmas estão previstas para o período de 7 a 25 de junho, pela manhã, no abrigo Rondon 3 e a tarde, no abrigo Pricumã.

.

Prevenções

As turmas são compostas em grupos de dez a 20 pessoas, dependendo do abrigo. O uso de máscara é obrigatório, bem como a higienização das mãos, com a utilização de álcool em gel. Todos os procedimentos são monitorados por um facilitador contratado pela AVSI Brasil, que estará presente em cada turma durante os cursos.

Para participar

Venezuelanos que tiverem interesse em participar podem fazer a inscrição no próprio abrigo gratuitamente. Os pré-requisitos são para pessoas com idade a partir de 18 anos e que tenham interesse em processos de interiorização para trabalhar em outras localidades do Brasil. O aluno também deve apresentar CPF, Protocolo de Refúgio/Residência, ou CPF e Identidade venezuelana com foto.

O projeto

O Acolhidos por meio do trabalho é implementado pela AVSI Brasil e conta com recursos financiados pelo Departamento de População, Refugiados e Migração (PRM) do Governo dos Estados Unidos. Entre as principais ações, o projeto prevê a colocação no mercado de trabalho e interiorização de venezuelanos adultos com suas famílias, além da colocação no mercado de trabalho de brasileiros em situação de vulnerabilidade social; e cursos preparatórios vinculados ao mercado de trabalho, de língua portuguesa e formação em direitos e deveres laborais, entre outras ações.

Em 18 meses, o Acolhidos por meio do trabalho intermediou:

  • Interiorização de 744 venezuelanos de Roraima para outras cidades;
  • Contratação de 372 venezuelanos em 8 estados brasileiros;
  • 21 processos de interiorização (para Santa Catarina (10), Mato Grosso (2), Minas Gerais (2), Distrito Federal (2), Rio Grande do Sul, São Paulo (2), Rio de Janeiro e Paraná);
  • Certificação de 445 venezuelanos em cursos de Língua Portuguesa e Preparação Laboral em Boa Vista/RR;
  • Certificação de 395 brasileiros em cursos profissionalizantes de Design de Sobrancelhas, Informática e Atendimento ao Cliente e capacitação para atuar no contexto da pandemia, em Salvador/BA.
CARD VAZIO